Reflexão com o Leigo - João 3,14-21



Olá pessoal, paz e bem!!!

Estamos na introdução do evangelho de João, o qual mostra quem é Jesus... aqui temos a terceira parte do diálogo entre Jesus e Nicodemos, um membro do Sinédrio e um dos líderes do povo judeu. Ele vai se encontrar com Jesus a noite, para que não fosse visto pelos seus compatriotas e ser acusado de traição. E ele vai ter um grande encontro com o Mestre dos mestres, e vai aprender coisas grandiosas que Jesus ensinou. Vamos refletir as palavras de Jesus neste encontro, e entender como o projeto de Deus é maravilhoso para todos nós...

Jesus vai explicar a Nicodemos que o “Filho do Homem”, que é o Messias, tem que ser “levantado” assim como a Serpente de bronze foi levantada num estandarte por Moisés no deserto para salvar da morte todos aqueles que olhassem para ela (conf. Nm 21,8-9). Este levantamento que Jesus fala é claramente a Sua crucificação! A cruz é o ápice do plano de Deus, passo necessário para chegar à exaltação, à vida definitiva. É aí que Jesus manifesta o Seu amor e que indica aos homens o caminho que eles devem percorrer para alcançar a salvação, a vida plena, sonho de Deus desde a saída do homem do Paraíso!

Todos que creem em Jesus ganham a vida eterna! Mas crer aqui não é apenas aceitar de maneira passiva, usando o intelecto apenas! “Crer nEle” é aderir à proposta de Cristo Jesus e viver segundo a Sua vontade!

Jesus faz a revelação definitiva de Deus Pai como um Deus que ama o ser humano até as últimas consequências, e que Ele não quer condenar a humanidade pecadora, mas que dar a salvação! Deus quer libertar o ser humano do egoísmo, da escravidão, da alienação, da morte, e dar-lhes a vida eterna. Com Jesus – o “Filho único” que morreu na cruz – os homens aprendem que a vida definitiva está na obediência aos planos do Pai e no dom da vida aos irmãos, por amor.

Falar que Jesus é o “filho único” de Deus, está fazendo referência a Abraão e o sacrifício de Isaac! Abraão, por amor a Deus, aceita sacrificar seu filho único, o filho da promessa, mostrando que o amor que ele tem por Deus está acima a tudo, até mesmo da promessa que o próprio Deus fez... Deus toma o papel de Abraão aqui e oferece seu filho único em sacrifício por amor a humanidade, e ao contrário do que aconteceu com Abraão que foi impedido de matar o filho no último momento, Deus não tem essa chance, e Seu filho se torna o sacrifício perfeito que nos livrou do pecado e da morte eterna.

Deus enviou Jesus não para nos julgar, condenar e punir... pelo contrário, Deus enviou Seu único Filho para nos ensinar como deve ser a vida daqueles que aderirem viver cumprindo a vontade de Deus, implantando o Reino dos Céus aqui na terra. Jesus também veio se doar em favor do ser humano que, no Paraíso, desobedeceu e se apartou da presença de Deus. Jesus se torna a ponte entre o ser humano e Deus, em Seu sangue fomos lavados e todo o pecado caiu por terra. Jesus nos garantiu a vida eterna, a salvação de todo aquele que crer em Seu nome!

Deus mandou Jesus em meio a humanidade pecadora, egoísta, autossuficiente, para apresentar uma proposta de vida nova! E deixou para o ser humano a livre escolha de querer ou não seguir a Sua proposta de vida! Todos somos chamados a responder o anúncio de Jesus! E, portanto, a salvação fica nas nossas mãos! Jesus é a luz, quem quiser se iluminar por esta luz que venha em sua direção e saia das trevas... mas quem quiser ficar nas trevas, terá no final a sua recompensa. Assim, Deus não é o detentor da salvação dos homens, mas o próprio ser humano que através da sua escolha ganhará a vida eterna. Eis o julgamento que fica nas mãos dos seres humanos: quem escolhe a luz ganha a vida eterna, quem escolha as trevas, terá a morte eterna...

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo, para sempre seja louvado!